Entregue-se!
créditos: Getty Images

Entregue-se!

Homens e mulheres se complementam, mas nunca vão se entender por completo. Falo isso por vários motivos bastante claros no nosso cotidiano. Homens nunca vão entender a dor de um parto ou de uma depilação na virilha com cera, assim como mulher nunca vai saber a dor de um chute recebido nas partes baixas ou de uma lâmina vencida na hora de fazer a barba. Tem também aquela clássica dor de cabeça de uma mulher na TPM e o famoso efeito da  testosterona no corpo masculino.

Diferenças são inúmeras e eu poderia citá-las aqui o dia inteiro! Acredito que seja exatamente por isso que existe essa relação tão questionada, mas necessária, entre homens e mulheres. Os opostos se atraem, mas no momento em que se tornam iguais podem se repelir (e isso é normal – pegue os exemplos que dei acima). A questão é tentar aceitar e conviver com as diferenças de cada um.

Estou aqui generalizando homens e mulheres e você deve estar me achando o mais tolo dos tolos. É claro que nem sempre é assim. Toda regra tem sua exceção e não vim aqui para discutir isso, e sim apenas tentar simplificar o que muitos veem como algo difícil de lidar.

Literalmente um não vive sem o outro! Ou você discorda? Faz parte da natureza do ser humano, fomos feitos assim. Queremos alguém do nosso lado, nos fazendo companhia naquela noite fria, queremos um conforto, um recanto ou, como muitos dizem, uma alma gêmea para nos acompanhar quando não formos mais assim tão garanhões.

Uma coisa que aprendi nas relações interpessoais é a palavra ´momento´. O que pode lhe atrair hoje, pode repelir amanhã. Em um momento da sua vida você pode estar procurando por beleza, sexo, prazer; enquanto em outro o que você mais quer é alguém simplesmente para te ouvir. Sexo hoje em dia é fácil, já um relacionamento é um processo mais lento, mais seletivo. Faz parte do amadurecimento, das vivências, das pancadas que a vida te aplica e de onde você tira a vacina, a defesa para relações futuras. Tornamos-nos cada vez mais exigentes na medida em que aprendemos com as relações.

Queremos amor de verdade, apesar de o sentimento hoje ser visto como algo comercial ou por pura supressão de carência. Existem até sites de traição para quem quer fugir da rotina e,  como tudo o que é fácil perde logo o valor, as relações tornaram-se frágeis, vulneráveis, e descartáveis em muitos casos. Hoje em dia o acesso é tão fácil às pessoas que nos permitimos errar e pular de galho em galho, sem ao menos tentar uma conversa ou uma ação para que tudo volte a ser como antes. Muitas vezes, é muito mais simples do que podemos imaginar, sabia?

Aprendi que para haver amor, além do momento particular de cada um, é necessário amor próprio. Você precisa estar bem consigo mesmo para estar com outra pessoa. Caso contrário, torna-se uma relação de posse, cheia de inseguranças. Ninguém aqui compete com ninguém, são duas partes diferentes que se complementam, que fazem trocas, que enriquecem o outro.



Aprendi também que, para haver amor, devem existir alguns itens essenciais:

1) Admiração: trata-se de amor extremo. Deve haver quase que uma idolatria, uma veneração, um consumo diário de sentimento verdadeiro a quem se ama.

2) Química: sexo sem química não dá! Não existe relação sem esse elemento básico. Se isso não rola, não force a barra, parta pra outra.

3) Confiança: sempre dizem que devemos deixar livres as pessoas que amamos, pois somente assim teremos a certeza de que cada um responde por si e aprende a ser responsável por isso. Fidelidade e lealdade são palavras que andam juntas.

4) Tolerância: é preciso ter compreensão. Saiba se adaptar e ceder dentro de uma relação. Amar a alguém é também amar seus defeitos.

5) Sinceridade: podemos, sim, omitir algumas situações desnecessárias do dia a dia. Já a mentira corrompe, denigre, não tem validade numa relação. É um buraco que aumenta na medida em que se cultiva isso. Uma hora a casa cai.

6) Respeito: ser amigo de alguém é fácil, pois é um sentimento puro. Em uma relação isso se torna mais difícil, pois a convivência é de outro nível, requer algo a mais. Nesse caso, respeito às diferenças é adjetivo básico!

7) Incorporação: como eu disse antes, assim como calor e frio, uma relação deve ser feita de trocas, um deve incorporar um pouco do outro em si. Saber compreender e conhecer os simples detalhes de cada um fazem diferença a longo prazo. São as pequenas coisas que marcam nossas vidas.

8) Surpresas: saber surpreender quem você ama é algo essencial. Todo dia é uma oportunidade para fazer alguém melhor. Um simples detalhe pode reforçar uma relação. Quão bom é viver de amor com aquele sentimento de que sempre pode surgir algo novo com esse alguém... Pequenas surpresas são como combustível em uma relação na trilha de um caminho a dois.



Com base nisso tudo, aí vai mais uma dica: se sua relação não tem a maioria desses itens, nem comece a namorar ou separe-se de uma vez! A traição é a fuga mais fácil para os que não sabem lidar com isso. Esse medo de perder alguém é que deve fazer parte do seu dia-a-dia. Se a pessoa é tão importante para você, faça por merecer, não viva com dúvidas. Não mude seu jeito de ser por causa de alguém, apenas aprenda a se adaptar e cresça com isso.

Viva cada dia como se fosse o último e não leve uma relação que não dá certo adiante. Isso só vai prejudicar a ambos e alimentar um sentimento de consumo desnecessário. Vá fazer festa e curtir sua vida com os amigos enquanto isso. Mas se você tem certeza do que quer, te atira, surpreenda, consuma seu amor com alguém ao extremo!

Amor verdadeiro deve ser cultivado e consumido diariamente. Seja por alguém, seja por você mesmo. Meio amor, dúvidas sobre si ou amor reclamado não adianta. Se ele tem seus riscos? Tem vários! Mas amor sem riscos é igual a jogos sem vitória.





Gustavo Sana



Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa afiliados Área do parceiro Publicidade Imprensa Contato RSS