Saiba mais sobre o xerez
créditos: AdobeStock

Saiba mais sobre o xerez

Há no mundo apenas dois vinhos que seguem um processo distinto de elaboração. O vinho de Xerez e o vinho do Porto. Seguindo esta linha, desvendaremos algumas características dos vinhos antigos do Sul da Espanha.

Terra de cavalos, flamenco e vinho (sem deixar de lado os excelentes conhaques), Jerez de la Frontera (xerez da fronteira), na província de Cádiz, é um lugar de adegas com soleiras e noites intermináveis, com aromas de flores de laranjeira e vinhos.

O primeiro dos grandes segredos dos vinhos de xerez é a sua localização geográfica e o clima privilegiado. A localização e a proximidade da foz do Guadalquivir favorecem os ventos Oeste que, além de amenizar as temperaturas, geram bastante humidade, gerando uma condição climática única no mundo. Por isso que se diz que apenas em Sanlúcas de Barrameda é possível produzir Manzanilla e que em nenhum outro lugar do mundo sua flor foi produzida com sucesso. Se ao clima privilegiado somar-se um processo único de elaboração, totalmente biológico e natural, o resultado é mágico.


Tipos de vinho de xerez
Em termos gerais, os vinhos de xerez se dividem em três categorias: generosos, generosos de licor e doces naturais, dependendo das características dos sucos, do processo de elaboração, do amadurecimento ou das combinações. Estaremos agora mais focados dos vinhos generosos, os mais rápidos e secos, dentro dos quais também existe uma grande variedade.

Fino. Se caracteriza pela coloração amarelo-palha, é consumido gelado, é seco ao paladar, intenso, com um aroma delicado um pouco amendoado. Suas características especiais são resultado de um processo de amadurecimento exclusivo e a graduação alcoólica é de 15o.

Amontillado. Seu processo de amadurecimento inclui uma fase inicial seguida de uma fase de amadurecimento oxidativo. O resultado gera um vinho de cor âmbar com aroma aveludado, suave e encorpado, com graduação alcoólica entre 16º e 22º.

Oloroso. Vinho sexo de cor âmbar e aroma muito acentuado, que lembra nozes, bastante encorpado e com graduação alcoólica que varia entre 17º e 22º. Merece destaque por sua suavidade e elegância.

Palo cortado. Da cor de mogno, é um vinho elegante e persistente. Diz-se que combina o aroma elegante do amontillado com a corpulência do oloroso na boca. A graduação alcoólica também fica entre 17º e 22º.

Manzanilla. Neste tipo de vinhos a graduação alcoólica nunca é menor do que 15º. Apresenta cor de palha, aroma pungente, de paladar seco e leve, pouco ácido. As características especiais são resultado de um processo de amadurecimento nas vinícolas da cidade de Sanlúcar de Barrameda.


Combinações dos vinhos de xerez
A melhor maneira de experimentar os prazeres proporcionados pelo xerez é desfrutá-lo com a combinação adequada. Provavelmente não há vinho mais versátil a ser degustado com pratos saborosos do que o vinho fino. Não é à toa que um vinho fino bem gelado seja perfeito para um jantar com tapas, ainda que as possibilidades de um xerez vão muito além do apetitivo.

Os vinhos de xerez são também a melhor opção para acompanhar determinados pratos, como verduras, alimentos típicos de outros países, frutos do mar e comida japonesa, marinadas e vinagrete.

 

 

Rafael Paniagua



Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa afiliados Área do parceiro Publicidade Imprensa Contato RSS